FANDOM


(Adicionando categorias)
m (Adição de link.)
Linha 9: Linha 9:
 
:"''Devido às evidências discutidas na página nove, os peritos agora suspeitam que possa haver de fato um sobrevivente do incêndio, mas seu paradeiro é desconhecido.''"
 
:"''Devido às evidências discutidas na página nove, os peritos agora suspeitam que possa haver de fato um sobrevivente do incêndio, mas seu paradeiro é desconhecido.''"
   
Neste ponto, [[Esmé Squalor]] arromba a fechadura da biblioteca e os persegue. Klaus e Sunny escapam pela "via de informações", mas Violet é muito grande e fica presa, sendo assim, levada por Esmé. Mattathias (que é na verdade o [[Conde Olaf]] disfarçado como o diretor de Recursos Humanos do hospital), informa o hospital pelo interfone de que Klaus e Sunny estão no edifício.
+
Neste ponto, [[Esmé Squalor]] arromba a fechadura da biblioteca e os persegue. Klaus e Sunny escapam pela "via de informações", mas Violet é muito grande e fica presa, sendo assim, levada por Esmé. [[Mattathias]] (que é na verdade o [[Conde Olaf]] disfarçado como o diretor de Recursos Humanos do hospital), informa o hospital pelo interfone de que Klaus e Sunny estão no edifício.
   
 
Eles se escondem com os Combatentes pela Saúde do Cidadão no dia seguinte e, em seguida, eles ouvem pelo sistema de intercomunicação que sua irmã estará sendo submetida a uma operação de [[craniectomia]]. Klaus e Sunny, então, se escondem em um ''closet'' de suprimentos e descobrem (com uso de anagramas), onde os comparsas de Olaf estavam escondendo sua irmã, sob o nome "Laura V. Bleediotie". Eles se disfarçam como dois médicos para que possam passar despercebidos pelo hospital, usando roupas médicas e máscaras cirúrgicas para encobrirem a sua verdadeira identidade. No caminho eles se deparam com Esmé, que estava levando o facão afiado e enferrujado que o Conde Olaf ameaçou-os com em [[A Sala dos Répteis]]. Ela acredita que eles são as [[Mulheres de rosto branco|duas mulheres de cara branca]] (colaboradores regulares do Conde Olaf). Ela leva-os para o [[Fernald|homem de mãos de gancho]] e o [[Homem careca de nariz comprido|homem careca e narigudo]], que os leva a Violet. Eles levam Violet para o [[Anfiteatro Cirúrgico]] para iniciar a operação.
 
Eles se escondem com os Combatentes pela Saúde do Cidadão no dia seguinte e, em seguida, eles ouvem pelo sistema de intercomunicação que sua irmã estará sendo submetida a uma operação de [[craniectomia]]. Klaus e Sunny, então, se escondem em um ''closet'' de suprimentos e descobrem (com uso de anagramas), onde os comparsas de Olaf estavam escondendo sua irmã, sob o nome "Laura V. Bleediotie". Eles se disfarçam como dois médicos para que possam passar despercebidos pelo hospital, usando roupas médicas e máscaras cirúrgicas para encobrirem a sua verdadeira identidade. No caminho eles se deparam com Esmé, que estava levando o facão afiado e enferrujado que o Conde Olaf ameaçou-os com em [[A Sala dos Répteis]]. Ela acredita que eles são as [[Mulheres de rosto branco|duas mulheres de cara branca]] (colaboradores regulares do Conde Olaf). Ela leva-os para o [[Fernald|homem de mãos de gancho]] e o [[Homem careca de nariz comprido|homem careca e narigudo]], que os leva a Violet. Eles levam Violet para o [[Anfiteatro Cirúrgico]] para iniciar a operação.

Edição das 02h51min de 21 de Abril de 2012

O Hospital Hostil

O Hospital Hostil é o oitavo livro da série Desventuras em Série, escrito por Lemony Snicket.

No início do livro, Violet, Klaus e Sunny chegam no Armazém Geral Última Chance depois de fugirem da polícia e dos moradores de Cultores Solidários de Corvídeos, pois foram falsamente acusados de assassinar Jacques Snicket no final do livro anterior. Lá eles encontram um comerciante que lhes oferece café-da-manhã e permite-lhes enviar um telegrama para o sr. Poe, mas ele não responde. Um homem chega no armazém e entrega O Pundonor Diário, obrigando-os a fugirem mais uma vez. Os irmãos entram na perua dos Combatentes pela Saúde do Cidadão e não são reconhecidos, então seguem viagem.

Eles chegam ao Hospital Heimlich e conseguem emprego com Hal na Biblioteca de Registros. Hal acha que a aparência dos irmãos é familiar. Ele diz que os lembra de um arquivo sobre o incêndio Snicket. À noite, os Baudelaire são obrigados a dormir na metade inacabada do hospital onde é frio e úmido. Revendo as poucas páginas dos livros de lugar-comum que receberam de Duncan e Isadora Quagmire, eles descobrem a existência do dossiê Snicket. Eles desempenham um truque em Hal para obter as chaves da biblioteca, mas só conseguiram recuperar a 13ª página do dossiê, onde se lia:

"Devido às evidências discutidas na página nove, os peritos agora suspeitam que possa haver de fato um sobrevivente do incêndio, mas seu paradeiro é desconhecido."

Neste ponto, Esmé Squalor arromba a fechadura da biblioteca e os persegue. Klaus e Sunny escapam pela "via de informações", mas Violet é muito grande e fica presa, sendo assim, levada por Esmé. Mattathias (que é na verdade o Conde Olaf disfarçado como o diretor de Recursos Humanos do hospital), informa o hospital pelo interfone de que Klaus e Sunny estão no edifício.

Eles se escondem com os Combatentes pela Saúde do Cidadão no dia seguinte e, em seguida, eles ouvem pelo sistema de intercomunicação que sua irmã estará sendo submetida a uma operação de craniectomia. Klaus e Sunny, então, se escondem em um closet de suprimentos e descobrem (com uso de anagramas), onde os comparsas de Olaf estavam escondendo sua irmã, sob o nome "Laura V. Bleediotie". Eles se disfarçam como dois médicos para que possam passar despercebidos pelo hospital, usando roupas médicas e máscaras cirúrgicas para encobrirem a sua verdadeira identidade. No caminho eles se deparam com Esmé, que estava levando o facão afiado e enferrujado que o Conde Olaf ameaçou-os com em A Sala dos Répteis. Ela acredita que eles são as duas mulheres de cara branca (colaboradores regulares do Conde Olaf). Ela leva-os para o homem de mãos de gancho e o homem careca e narigudo, que os leva a Violet. Eles levam Violet para o Anfiteatro Cirúrgico para iniciar a operação.

Enquanto Sunny e Klaus tentam atrasar a operação contando a história da faca, Hal entra acusando-os de atear fogo ao hospital (na verdade, foi Esmé quem provocou o incêndio). Esmé chega junto com as reais mulheres de cara branca e os delata. Klaus e Sunny pegam a maca de Violet e ela acorda, e eles fogem. A pessoa de sexo indeterminado tenta pegá-los enquanto correm pelo hospital.

As três crianças se escondem em outro closet que parece com o outro que Klaus e Sunny estiveram. Eles, então, desviam a multidão que aglomerava-se na frente do hospital para a metade inacabada do hospital, falando como se fosse pelo interfone. Eles se apressam pois a pessoa que não parece nem homem nem mulher tenta espancar a porta do closet. Os Baudelaire usam uma corda feita de muitos elásticos amarrados e saltam pela janela do segundo andar do hospital.

Eles ouvem o Conde Olaf gritando para seus comparsas para colocarem os disfarces no porta-malas e entrar em seu carro. Antes que o porta-malas seja fechado, os Baudelaire se escondem lá dentro e Olaf escapa com Esmé e seus comparsas, menos a pessoa de sexo indeterminado que foi queimada até a morte. Os Baudelaire conseguem respirar normalmente no porta-malas, pois há buracos de bala na lataria devido a alguma perseguição policial.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.